colu

Notas Perfumadas

0 Flares 0 Flares ×

Eu vou me banhar de manjericão

Já alertava Clara Nunes que o bom mesmo é tomar um banho de manjericão. E sim! Precisaremos de muito manjericão no ano de 2016. Dois mil e quinze nos deixa com um aroma ocre no ar, com um cheiro de vísceras, de lama, de profundidade. Cheiro de sangue e de guerra. Para quem não sabe guerrear e tem medo de sangue, o ano foi mais que pesado. Para quem usa espada nas mãos e não se assusta com vermelho, o ano foi cansativo, mas foi! Para quem é guerreiro, não faltou guerra! Afinal, foi ano de Ogum, o orixá que abre os caminhos, o que vai na frente e não foge de uma batalha. Foi ano de olíbano, de patchuli e junípero. Ao final, já em dezembro, quem soube ouvir a alma embarcou na energia da lavanda para fazer as “últimas lavadas”: limpar o sangue da roupa do ego e limpar as armas para guardá-las. Dois mil e quinze foi um ano regido por peregum, espada-de-são-jorge e patchuli.

Dois mil e dezesseis será regido por Oxalá, um sábio que é de paz e não gosta de sangue ou sujeira. Vai ser um tempo mais tranquilo, de alquimia feita em banho-maria. Para quem veio da guerra e guerreou muito, ainda está com as mãos sujas do próprio sangue (refiro-me aqui à alquimia interna e à autoconsciência) e as armas em punho, é tempo de usar lavanda até março de 2016 (ainda dá tempo!), limpar a cabeça de violeta (a cor da planta) e guardar as armas.

Dois mil e dezesseis chega manso e pede plantas do Sol, para cima, alegres, vivazes. Cítricos, flores e frutas deixam seus rastros de perfume para começarmos 2016. O tempo de nigredo (fase profunda da alquimia — mergulho na escuridão da alma) vai dar uma trégua para o povo lutador. É momento de usar o gritante e alegre alecrim, a doce bergamota e o majestoso manjericão, a planta solar.

Até março, sugiro utilizar muita lavanda (que no Brasil, também é conhecida como alfazema). A lavanda, que vem de lavare (“lavar” em latim), vai te ajudar a tirar as zicas e as tretas de 2015, transmutando com seu raio violeta aquilo que não cabe mais em um tempo alquímico tão solar que vem por aí: 2016! Se você suou a camisa na alquimia interna, não ficou de moleza e fez muita mudança, use lavanda até março e inicie 2016 com a majestade do manjericão, é ele que vem fazer a energia solarizada do ano novo no mundo das plantas. Agora, se você só se escondeu das tretas em 2015, sinto muito informar, o ano de 2016 não trará muitas descobertas, vai ser tudo calmo, mas sem grandes novidades. As plantas também não brincam, assim como o céu. Elas mostram a sua vibração, sua forma de se movimentar e estar na vida. Se você foi tangerina em ano de patchuli (2015), em 2016, o manjericão não fará milagres por ti! Manjericão vem de majestade, e toda majestade de si mesmo precisa trabalhar para que seu império cresça, se fortaleça e dê frutos.

Então, se você, como a deusa Durga (deusa da mitologia Hindu que nasce para guerrear e matar asuras), lutou contra os próprios demônios internos em 2015, tome o seu último banho de lavanda até março, pegue seu manjericão nas mãos e dê um belo olá para o sol de 2016.

Sugestões de banhos:

Para você que tem uma casinha em Lumiar ou outra terrinha em um mato lindo, procure com os locais uma erva chamada abre-caminho. Se você conseguir, ferva a água, desligue o fogo e despeje a erva na panela. Deixe esfriar e tome um banho do pescoço para baixo.

Se ficar difícil achar abre-caminho, compre na lavanda (alfazema) na feira. Deixe a água entrar em estado de cocção, desligue o fogo, jogue os ramos da lavanda na panela e deixe descansar. Tome banho com esta água linda de Iemanjá do pescoço para baixo e mentalize a lavanda lavando de você tudo o que já não serve mais, inclusive o peso de 2015. Vamos pedir leveza nisso aí! Outra forma de utilizar a lavanda é colocando alguns ramos dentro de um frasco de vidro, junto ao álcool de cereais, e borrifando em você e na casa.

O ideal é que você faça essas limpezas primeiro, para, então, iniciar a bruxaria com o manjericão. Mas você já pode colocá-lo nos sucos e nas comidas da virada. O banho de manjericão é feito das folhas e dos talos em água em estado de cocção, já fora do fogo. Descanse, espere esfriar e tome um banho do pescoço para baixo. Visualize a forma, o ânimo e a alegria do manjericão refrescando a sua alma e abrindo o seu sorriso. Coma manjericão em 2016, faça amizade com ele e deixe que esta poderosa planta lhe auxilie a achar o sorriso que ficou meio perdido em 2015. Chega de desânimo! Põe manjericão e vai!

Palmira Margarida é historiadora e pesquisa a história dos cheiros, é a pisciana mais ariana de que se tem conhecimento. Descende de italianos e adora uma massa, mas fala sem gesticular. Ama viajar e captar os aromas das trilhas, das culturas e das ideias. Está em busca do profundo perfume do Ser. Escreve neste espaço às quintas-feiras. E-mail: margaridalquimia@gmail.com

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 0 Flares ×